Skip to main content
espanhol
  • Resources
  • Matérias

A revolução e nos cuidados com a segurança do pagamento em meios digitais

Os pagamentos digitais já revolucionaram o mercado, mas também exigem que as lojas virtuais adotem uma série de ações para garantir maior segurança para quem paga e para quem recebe dentro do ambiente online.

Os pagamentos digitais já revolucionaram o mercado, mas também exigem que as lojas virtuais adotem uma série de ações para garantir maior segurança para quem paga e para quem recebe dentro do ambiente online. Um negócio que se posiciona como referência no mercado, independentemente do segmento ou tamanho, precisa ter cuidado ao definir quais são os seus métodos de pagamentos digitais. Afinal, um simples descuido pode expor dados da própria empresa ou até mesmo dos seus consumidores e parceiros.

Por isso, é essencial entender mais sobre as melhores práticas para garantir que os pagamentos digitais aconteçam de maneira segura. Desde técnicas mais avançadas até mesmo cuidados básicos: os mínimos detalhes podem ser críticos para evitar problemas mais graves.

Os pagamentos digitais são todas as transações financeiras realizadas por meio de alguma plataforma online. Para que ele seja concretizado é necessário que tanto a empresa quanto o consumidor tenham plataformas financeiras que consigam conversar e trocar dados em tempo real.

bom lembrar que os pagamentos digitais não são utilizados apenas em compras online – apesar de esse ser um grande mercado deste tipo de solução. Por exemplo, um pagamento por carteira digital em uma maquininha em uma padaria é considerado um pagamento digital.

De acordo com os dados da pesquisa do MelhorPlano.net (1), as principais formas de pagamentos digitais hoje são:

  • Cartão de crédito (32%) e débito (13%): esses dois métodos combinados são responsáveis por grande parte do valor movimentado no Brasil;
  • Débito automático (2%) : mais utilizada por empresas que tem modelos de negócio recorrente;
  • Boleto bancário (12%): este meio de pagamento pode ou não ser digital. Se ele for pago através de um aplicativo de banco no smartphone, ele pode ser considerado digital, sim;
  • Pix (34%): permite a realização de transações instantâneas e gratuitas para os consumidores;
  • Carteiras digitais (7%): também conhecidas como e-wallets, elas são a modalidade que está se destacando na atualidade. Elas armazenam todas as informações em um celular e fazem o pagamento via aproximação ou através de uma senha. Alguns exemplos são MercadoPago, PagSeguro, ApplePay, PayPal, GooglePay e etc;

Aumentando a segurança nos pagamentos digitais

1) Utilize criptografia de ponta a ponta

A criptografia é uma técnica fundamental para proteger os dados durante as transações. Utilize protocolos de criptografia robustos, como o SSL (Secure Socket Layer) ou o TLS (Transport Layer Security), para garantir que as informações sejam criptografadas ao serem transmitidas pela internet.

Na prática, mesmo que alguém intercepte esses dados e informações, você reduz as chances de que eles sejam compreendidos por terceiros. Ou seja, em um cenário de vazamento de dados, você não vai expor nenhuma informação sensível da sua empresa ou dos seus clientes.

2) Implemente autenticação de dois fatores

Outra técnica muito simples que pode tornar o pagamento digital mais seguro é a autenticação de dois fatores, também conhecida como 2FA. Em resumo, trata-se de uma camada extra de segurança ao exigir que os usuários forneçam duas formas de autenticação para acessar uma conta ou realizar um pagamento.

Em vez de solicitar apenas a senha de acesso, por exemplo, o consumidor ainda precisa adicionar outra informação, como um código único (OTP) enviado por mensagem de texto ou autenticação biométrica. Assim, você garante que eles são realmente quem dizem ser e não outra pessoa fazendo uma compra em seu lugar.

3) Use uma solução de verificação móvel silenciosa

Esse tipo de solução funciona com base nos dados das operadoras de telefonia para validar a identidade dos usuários. O SMV trabalha em segundo plano – ou seja, sem a necessidade de nenhuma ação do usuário -, o que é excelente para uma experiência sem interrupção e, portanto, mais satisfatória.

Aqui, ao invés do usuário digitar um código OTP enviado para algum canal para verificar a sua identidade, a empresa que possui o SMV valida diretamente com a operadora as informações dadas pelo usuário e garante que elas são válidas e autoriza a operação a partir disso.

4) Mantenha sistemas e software atualizados

Um erro básico que pode acabar expondo os métodos de pagamentos digitais é não realizar a atualização constante dos sistemas utilizados. Por isso, fique de olho nas atualizações que os sistemas operacionais, aplicativos e plugins fazem e sempre implemente as mudanças solicitadas.

5) Monitore e detecte atividades suspeitas

Assim como os pagamentos digitais acontecem 24 horas por dia, 7 dias por semana, as tentativas de golpe também trabalham sem parar. Dessa forma, você não pode deixar de implementar sistemas de monitoramento em tempo real para identificar atividades suspeitas envolvendo o seu negócio.

Essas ferramentas podem ajudar a identificar, por exemplo, transações incomuns ou comportamento anormal dos usuários. O uso de algoritmos de detecção de fraude e inteligência artificial pode ajudar a identificar padrões e comportamentos fora do comum, permitindo uma resposta rápida para evitar essas ameaças.

6) Ofereça opções de pagamento seguras

Essa sugestão pode parecer simples, mas ela é muito impactante na realidade dos pagamentos digitais: ofereça apenas métodos seguros. Viu uma nova opção que pode fazer sentido para o seu negócio? Sem problemas, mas realize uma pesquisa minuciosa antes de tomar qualquer tipo de decisão.

Em um primeiro momento, se certifique de que o método escolhido segue, por exemplo, os padrões de segurança mais recentes e que sejam protegidos por criptografia e autenticação robusta. Além disso, sempre avalie com outras empresas para entender a qualidade real dessa solução.

7) Eduque seus usuários sobre segurança

Como empresas, a responsabilidade sobre os pagamentos digitais não se limita a escolher as melhores ferramentas ou adotar as principais práticas de segurança. Também é fundamental educar os consumidores e usuários sobre os cuidados que eles devem ter ao pagar no ambiente online.

Desde dicas simples, como orientações sobre criação de senhas fortes ou identificação de tentativas smishing, até mesmo sugestões mais complexas, como a necessidade de implementação do 2FA. Mais do que apenas sugerir, explique os motivos e benefícios de adotar essas práticas.

Proteção dos dados do cliente

É importante entender mais sobre o comportamento do seu consumidor para, em seguida, definir quais são os métodos que fazem sentido oferecer e escolher fornecedores confiáveis.

Priorizar a experiência do cliente é sempre importante. Isso contempla não apenas o atendimento ou a jornada de compra, mas o que acontece nos bastidores, como proteger informações confidenciais dos clientes, como detalhes do cartão de crédito e dados pessoais.

Ao colocar isso como uma prioridade do seu negócio, você está sinalizando o seu comprometimento e responsabilidade com a privacidade. Em um mercado tão competitivo, esse fator pode ser um diferencial para, por exemplo, conquistar a confiança e fidelidade dos clientes.

Melhoria da confiança do consumidor

De acordo com dados do estudo Impactos Tecnológicos no Varejo, o medo de fraude é o que mais afasta o consumidor da compra. Ao garantir que os métodos de pagamento do seu negócio são seguros, você consegue romper essa primeira barreira e torna a decisão de compra muito mais simples.

Para negócios que querem se estabelecer e criar uma base fidelizada, são ações como essa que mudam o jogo. Afinal, após uma compra concluída sem maiores problemas, as chances do consumidor retornar são muito maiores.

Redução de custos relacionados a fraudes

Além dos prejuízos relacionados à reputação da marca, as fraudes têm um custo financeiro para um negócio. Ao adotar essas boas práticas de segurança, você evita que a sua empresa esteja exposta a precisar arcar com gastos inesperados, como multas e sanções regulatórias.

Considerações finais

A experiência mostra que são anos para construir uma reputação e apenas minutos para acabar com ela. Imagine ter um negócio de sucesso e, por uma falha de segurança, a sua empresa começar a ser associada com problemas de fraude em pagamentos digitais.

Mais do que evitar esse problema, como os tópicos anteriores reforçam, você pode criar uma reputação positiva ao investir nessa segurança. No longo prazo, é essa reputação que vai garantir que mais e mais clientes conheçam o seu negócio.

Os benefícios de analisar com cautela os pagamentos digitais do seu negócio são muitos e as boas práticas são cada vez mais simples de serem implementadas, o que vai evitar que a sua empresa perca em reputação. Mais do que isso, é uma maneira de potencializar o desempenho das suas vendas online!